Como Criar Objetivos Intencionais

5 Soluções para expandires a tua vida e o teu negócio.

Objetivos, ou metas, e intenções tem significados próximos, mas qual a verdadeira diferença entre elas?

Não estamos falando de meras palavras com definição no dicionário, mas de conceitos concretos e essenciais para a nossa vida criativa.

Sob a perspectiva da semiótica, segundo Patrizia Bittencourt, a “intenção” esta conectada com o presente e pode ter o poder de nos remeter para o que está perto de nós, aqui, agora. A “intenção” serve para expressarmos a nossa vontade atual, uma disposição emergente e imediata.

Enquanto os “objetivos” se prendem apenas com ‘o que’, que são as ações e os resultados, a “intenção” está intrinsecamente relacionada com ‘como’ o fazemos, com aquilo que nos move e está por trás de cada uma das nossas atitudes e comportamentos.

Ainda, hoje, inspirada pelas aulas no Mestrado, trago um exemplo da cultura árabe que ilustra bem esta diferença. Curiosamente, objetivo e intenção são conceitos relevantes no Fiqh, a jurisprudência islâmica.

A palavra Niyyah [نية], “intenção”, está conectada com a intenção no coração de uma pessoa ao realizar ações. Está conectada às próprias ações do indivíduo (apenas ele pode intencionar e se responsabilizar). Niyya tem a ver tanto com o que é possível, como com o que não é possível.

Por outro lado, a palavra Qasd [هدف], “objetivo”, está ligada à simples ação, ao ato de fazer algo, onde a pessoa está apta a realizar a ação. Contudo, ao contrário de Niyyah, Qasd não está ligada à possibilidade dos acontecimentos.

Intencionar: Sentir e Confiar

Tudo o que queremos ver manifesto exige uma intencionalidade externa e interna. A interna é gerada na mente, e a externa é gerada na atitude. – Rayane France

Foco, disciplina, motivação, acompanhamento, dedicação? Esqueça tudo isso. Nem sempre precisas correr e estar em esforço, gastar tanta energia para chegar aonde desejas.

Na verdade, isto pode estar a impedir-te de lá chegar… a tal da resistência. Às vezes tudo que precisamos para receber aquilo que queremos ou precisamos é apenas isso. Estar aberto a receber. Só isso.

“Mas, Gisela, só sentir e imaginar não basta, é preciso agir!”

E abrir-se para receber não é uma ação por si só? E a confiança não é uma atitude por si só?

Sentir e Confiar

Intencionar é o processo de sentir, viver e experenciar, sem sair do lugar, com todo o teu ser e confiar no seu poder.

Ao invés de cultivar ações tão Yang, porque não cultivar ações Yin? Que tal começarmos a mudar este padrão de ação e esforço elevados ao qual estamos sucumbidos e tão acostumados?

Podemos parar para ouvir o nosso corpo e o meio onde estamos inseridos? Podemos confiar que nada nunca nos faltará? Podemos acreditar que iremos chegar exatamente onde queremos?

Sim, podemos. Cons-tan-te-men-te.

Mais abaixo apresento-te algumas soluções práticas neste sentido.

Traçando Objetivos Intencionais e Fluindo com a Vida

Podemos exponenciar o constante sentir e confiar utilizando técnicas objetivas.

Os objetivos intencionais são, então, aqueles que são traçados com o coração e com presença. Não são listas infindáveis de desejos que, por mais SMART que sejam, estarão sempre te limitando. É saudável ultrapassar os limites daquilo que acreditamos ser alcançável.

Abaixo, seguem 5 formas para elaborares objetivos intencionais para a tua vida através da roda da vida, de listas orgânicas, visualização de imagens, escrita e meditação.

Lembra-te de sentir com corpo, mente e alma os teus desejos e sonhos e emanar confiança enquanto criares os teus novos objetivos.

Roda da Vida

Perspectivar a tua situação atual através de uma roda da vida é um belo ponto de partida. Criar a sua própria roda da vida, por si só, irá dizer muito sobre você. Que áreas valorizas mais, como lhes chama? Qual o nível de satisfação com cada área neste momento?

Permita-se esta análise do presente para intencionar o teu futuro.

Sabes que todas as áreas da tua vida estão intrinsecamente interligadas e, quando equilibramos as várias áreas consideradas, a nossa vida flui com mais leveza e felicidade.

Por isso, trabalhe o lado mais fraco.

Se notas que em uma área da vida não estás plenamente satisfeita(o) ou não estás a dedicar-se como “deveria”, o ideal é que passes a cuidar e a regar esta área. Quaisquer que sejam os desafios que estejas a experienciar em outras áreas, estes, provavelmente, irão solucionar-se inesperadamente.

Por exemplo, imagine que, neste momento, o negócio da Marta até está a ir bem, no entanto, já há alguns meses, ela está a lutar para conseguir novas parcerias e aumentar o seu rendimento, sem sucesso, apesar de testar várias estratégias diferentes. Ao realizar e avaliar a sua própria roda da vida, Marta notou que estava dedicando-se muito pouco a atividades onde se divertia e também estava bem desleixada com a sua saúde.

Ao invés de continuar utilizando o seu tempo para insistir em implementar novas estratégias, apeesar de ser prazeroro e lhe dar energia, Marta, com este ganho de consciência, decidiu pegar leve no negócio, realizar caminhadas, cuidar da alimentação e realizar alguns encontros com amigos… Aparentemente, estaria a negligenciar o seu negócio, mas afinal, estava rumo a um equilíbrio e ao encontro de soluções inesperadas para atingir os seus objetivos nesta área.

Irónico? Teste você mesmo(a).

Uma forma natural de traçar objetivos

A Portia Yip, (my favourite) business coach e copywriter, sugere-nos uma abordagem mais orgânica da constituição dos nossos objetivos. Aqui não saímos das listas, mas apenas as tratamos sob uma perspetiva diferente.

Portia propõe-nos traçar objetivos sob 4 parâmetros: Poças, Rios, Lagos e Oceanos (artigo original, em inglês, aqui).

As Poças são os pequenos passos, as listas de tarefas diárias e semanais, mesmo que aparentemente não estejam relacionadas diretamente aos seus objetivos, mas que são vitais para que te mantenhas organizado(a), nutrido(a) e descansado(a).

Os Rios são as etapas ousadas de ação que te impulsionam para a frente e também a energia que emanas por trás dos seus objetivos – onde tudo está constantemente fluindo e ganhando impulso em direção ao pretendido.

Os Lagos são seus objetivos mais amplos, eles orientam como você navega em seus rios e pula nas suas poças. Eles são as suas maiores conquistas. Podes criá-los, por exemplo, mensalmente ou trimestralmente, pois assim permitem que observes como estás a progredir.

E, finalmente, o Oceano corresponde ao teu sonho e visão, seu propósito, para onde todos os outros corpos d’água estão conduzindo. É a quantidade infinita de possibilidades de como sua vida e negócios se desenvolvem. É o reflexo da sua jornada, seu impacto no mundo e nas pessoas ao seu redor.

Carta ao seu futuro eu

Esta forma de traçar objetivos é fantástica e muito poderosa. É ideal para quem realmente gostaria de utilizar a imaginação, criar uma forte intenção e deixar fluir a vida no seu curso natural, sem pensar muito. Ou para quem está precisando lembrar que existe um futuro com possibilidades infinitas.

Podes enviar cartas ao teu futuro eu todos os meses, ou de ano em ano. E porque não escrever para você mesmo uma carta para receber daqui a 5 anos?

Se escrever em papel, podes colocar um alarme no calendário para ir ler na data que imaginaste.

Também podes utilizar o digital a seu favor e agendar um email para você mesma ou utilizar este site.

Meditação

Quando meditamos, acedemos ao nosso subconsciente, sentimos o nosso coração, alinhamo-nos. Ultrapassamos naturalmente os limites do nosso habitual.

A meditação pode ser um exercício diário de conexão, mas também uma forma subjetiva de alcançar resultados objetivos.

A Ana Sofia Santana fornece no seu site uma meditação guiada que te apoia a criar uma visão para 10 anos e que te permite entrar em equilíbrio nas áreas diversas áreas da vida.

Para o dia-a-dia, vale conferir a app Sadhguru – Yoga, Meditation & Spirituality.

Vision Board

Vision boards são extremamente poderosos. De acordo com a Psychology Today, as práticas como a visualização podem aumentar a motivação e a confiança.

Um vision board é um quadro onde tens imagens que representam os teus sonhos. Trata-se de uma colagem intencional. Pode ser um quadro físico, normalmente com colagens de revistas e/ou impressões. Ou um quadro criado digitalmente.

 O importante é ter o teu vision board num local bem visível e, de preferência, impresso.

Finalizando

Dedicares tempo para refinar a ideia daquilo que desejas, imaginares o teu Eu a concretizar os teus objetivos e os teus desejos é bem diferente de criar uma lista mecânica de ações.

Quando criamos intenções, o caminho para conquistas torna-se mais leve. Focar-se no que interessa torna-se mais simples. O processo torna-se mais saboroso e mágico. E a não concretização de alguns objetivos, ou a longa espera por algumas conquistas, torna-se menos estressante.

Quando criamos intenções, fluímos com a vida e estamos mais perto de Ser.

Como tu praticas a intencionalidade? Vamos trocar ideias. Partilha nos comentários ou envia-me um email para iniciarmos uma conversa.

Leave a comment